29/07/2020 às 10h26min - Atualizada em 29/07/2020 às 10h26min

Biotecnologia da cana pode ser utilizada em vacina contra coronavírus

Amyris, especializada na produção de novas moléculas com base na cana, fechou parceria com instituto de pesquisa

Com informações do Valor Econômico
novaCana.com
Da Web
O desenvolvimento de vacinas que combatam o coronavírus está em pauta por todo o mundo e em diversos setores. A indústria de cana-de-açúcar, inclusive, está representada nesta batalha pela Amyris, empresa americana de biotecnologia.

Conforme reportagem publicada no Valor Econômico, a empresa pretende testar sua tecnologia de produção de esqualeno a partir da cana como um componente central na vacina que está sendo desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa em Doenças Infecciosas (IDRI). A parceria foi anunciada ontem.

A Amyris é especializada em produzir novas moléculas com base na fermentação da cana para utilização na indústria, fornecendo ingredientes para empresas de alimentos, farmacêuticas e fabricantes de cosméticos.

O esqualeno, uma espécie de óleo hidratante usado em produtos para a pele, é uma das suas substâncias mais importantes, com 40% de presença de mercado, e começou a ser produzido em Brotas (SP), em 2013.

No caso da vacina, de acordo com o Valor, o produto será usado como adjuvante imunológico, servindo para fortalecer a resposta imune das vacinas e permitindo sua produção em escala.

De acordo com o CEO do IDRI, Corey Casper, em comunicado, sem os adjuvantes, “as vacinas não são maximamente efetivas”. Já o CEO da Amyris, John Melo, acredita que a parceria entre as duas empresas “apresenta uma oportunidade real para entregar a vacina mais escalável e de maior eficiência contra a covid-19”.

A reportagem do Valor ainda traz a informação de que a expectativa das empresas é que o fornecimento do esqualeno como adjuvante para a vacina contra o coronavírus possa ocorrer até o final do ano, caso os testes do produto sejam positivos.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »