14/05/2020 às 10h53min - Atualizada em 14/05/2020 às 10h53min

Golpes estão sendo aplicados na Capital pelo WhatsApp; saiba como se proteger

Golpistas clonam conta e pedem dinheiro para os contatos da vítima

Correio do Estado
Várias ocorrências de clonagem de contas de WhatsApp estão sendo registradas em Campo Grande. Se trata de um golpe onde estelionatários invadem a conta de uma pessoa e pedem dinheiro para amigos e familiares da vítima, se passando por ela.  

Em muitos casos, os golpistas conseguem o número das vítimas por meio de anúncios no site de vendas OLX. Os golpistas ligam para o anunciante e pedem um código para, supostamente, confirmar a publicação da postagem no site. Mas também há registros de ocorrências que a vítima clicou em spam recebido por conhecidos, e teve o aplicativo clonado.

O pesquisador e docente da Faculdade de Computação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Brivaldo Junior explicou como acontece a clonagem. “Depois de conseguir o número de celular, ele é clonado. Aí eles enviam o pedido de ativação do WhatsApp em outro celular e pedem a mensagem para o dono original (que supostamente seria o código de ativação do anúncio). Quando conseguem o código, usam um mecanismo de clonagem e o aplicativo do dono original fica desativado, para de funcionar”.

Foi o que aconteceu com o estudante Alexandre Gomes de Macedo, que fez um anúncio no site e foi vítima do golpe. “Atendi a ligação que era supostamente da OLX, o homem falava muito bem sabe, e nem desconfiei. Foi falta de atenção da minha parte porque estava ocupado quando ele me ligou, mas eu não estava esperando”. Quando o estudante tentou acessar o aplicativo depois de receber a ligação, já não estava mais funcionando, “foi muito rápido, quando parei para perceber já tinha acontecido”.  

Amigos de Alexandre receberam mensagens do número dele falando que precisava realizar uma transferência, mas o aplicativo do banco não estava funcionando. “Ele pediu dinheiro para um monte de gente, sempre o mesmo valor, R$1.850. Que eu saiba ninguém depositou o que pediram”.

Foram registradas 302 ocorrências de invasão de dispositivos informáticos em Campo Grande, de janeiro até início de maio. Houve um aumento de 358% em relação ao mesmo período do ano passado, quando houve 68 ocorrências. Segundo informações da secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), este número pode ser ainda maior, pois na hora do registro, o golpe pode entrar como furto qualificado mediante fraude, estelionato ou tentativa de estelionato. “Às vezes, em muitos casos, é necessário perícia nos aparelhos, mas as vítimas não permitem, o que acaba dificultando o registro deste crime. Ou então nem sabem que tiveram o aparelho invadido”, informou a assessoria da Sejusp.

Saiba como se proteger

O pesquisador Brivaldo explica que há duas maneiras de evitar cair no golpe. “É bom evitar disponibilizar o número de telefone nos anúncios da OLX ou em redes sociais, e também ativar o 2FA do WhatsApp (autenticação de duplo fator)”.

Por meio da autenticação, o usuário consegue criar uma segunda senha que só ele sabe, e também cadastrar um e-mail de recuperação. Essa senha é de quatro dígitos e vai passar a ser requisitada regularmente em momentos aleatórios, para confirmar se é realmente o dono da conta que está utilizando o aplicativo. Confira como ativar:

Clique em “Ajustes” ou “Configurações”, em seguida em “Conta”;
Em seguida, vá em “Confirmação em duas etapas” e “Ativar”;
Depois de ativar, cadastre o e-mail de recuperação em “Mudar endereço de e-mail”.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »