19/03/2020 às 13h50min - Atualizada em 19/03/2020 às 13h50min

CPI da Energisa: Equipes retiram medidores e aferição deve durar 30 dias

Retirada deve terminar no dia 26 de março

MidiaMax
Mesmo com orientação da Prefeitura para que as pessoas fiquem em casa por conta da pandemia do novo coronavírus, o Covid-19, 15 equipes continuam trabalhando na retirada dos medidores de energia, sorteados na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Energisa para passarem por perícia na USP (Universidade de São Paulo) em São Carlos, nesta quinta-feira (19).

De acordo com o deputado estadual Capitão Contar (PSL), a equipe que ele acompanha na região do bairro Monte Castelo retirou no período da manhã 4 medidores e estima que com todas as equipes trabalham já tenham 60 medidores retirados.

A operação para a retirada dos medidores deve terminar no dia 26 de março e no dia seguinte os equipamentos devem ser enviados para a onde serão aferidos.

“Os técnicos terão 30 dias para concluir a aferição que será acompanhada por profissionais do Inmetro e da própria Energisa”, destacou Contar.

200 para a perícia
A Energisa terá 7 dias para retirar 300 equipamentos de medição das casas de consumidores que reclamaram de supostas medições erradas da empresa para que técnicos da USP (Universidade de São Paulo) de São Carlos façam a análise técnica dos medidores. A decisão foi comunicada na segunda-feira (16) durante reunião da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga a empresa na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

A Comissão usou o site sorteador.com.br para, entre as 2.289 reclamações, sortear 300 equipamentos a serem retirados. Desses, 200 serão encaminhados para os técnicos fazerem análises. As retiradas acontecem a partir da próxima quarta-feira (18) e a empresa terá também sete dias para repor os equipamentos.

De acordo com o presidente da CPI, deputado estadual Felipe Orro (PSDB), técnicos do Inmetro acompanharão as inspeções nos relógios na USP. Técnicos da CPI também farão o acompanhamento com as equipes da Energisa para a retirada dos padrões.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »