13/03/2020 às 13h13min - Atualizada em 13/03/2020 às 13h13min

Petrobras reduz preço dos combustíveis nas refinarias, mas baixa não chega as bombas

Diesel deve ter queda de 6,5% e gasolina 9,5% a partir desta sexta-feira

Correio do Estado
Expectativa agora é pela redução de preços nas bombas dos postos de combustíveis - Foto: Álvaro Rezende / Correio do Estado
A Petrobras informou nesta quinta-feira que está reduzindo o preço da gasolina em 9,5%, ou R$ 0,1600 o litro, e do diesel em 6,5%, em R$ 0,1250 o litro nas refinarias a partir desta sexta-feira, medida que impactará todas as praças no Brasil. A queda vem em resposta à drástica redução do preço do petróleo no mercado internacional e também diante do avanço do coronavírus no mundo e seus possíveis impactos na atividade econômica global.

Desde o início do ano, a commoditie vem caindo de preço por causa do Covid-19 – que ameaça o crescimento da economia global – e mudou de patamar nos últimos dias por uma queda de braços entre a Rússia e a Arábia Saudita pelo volume de petróleo disponível no mercado. Nesta quinta-feira, por exemplo, o barril do petróleo operava por volta dos US$ 33, depois de ter aberto o mês de março em torno dos US$ 50.

Esta é a sétima vez no ano que a empresa promove reajuste em preço no litro da gasolina, e a quinta vez que altera o valor do diesel. O ajuste mais recente foi em 29 de fevereiro, quando a empresa reduziu em 4% o preço do litro da gasolina e em 5% o valor do litro do diesel nas refinarias.

A expectativa, agora, é quanto à redução de preços nas bombas nos postos de combustíveis, até mesmo por conta da recente crise envolvendo o setor, quando o governo do Estado aumentou a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) da gasolina e reduziu a do etanol para que houvesse maior competitividade – vantagem para o abastecimento com etanol. Mas muitos donos de postos foram acusados de aumentar irregularmente os seus preços para que não houvesse essa competitividade.

Ontem, ao ser indagado sobre os novos preços definidos pela Petrobras, o diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul (Sinpetro), Edson Lazarotto, disse que “ainda não temos, por enquanto, quando e quanto ocorrerá essa redução, pois ela ocorreu na ponta, ou seja, na refinaria, e foi na gasolina A; para venda é a gasolina C, que tem a mistura do etanol em 27% .

Ainda segundo ele, será preciso aguardar e ver o que a distribuidora vai repassar e quando. “Creio que amanhã [hoje] teremos uma informação mais real. Preferimos aguardar para não anunciar e criar expectativas que possam frustrar o consumidor final”, disse.

MERCADO DE PETRÓLEO

A Petrobras anunciou a redução de preço da gasolina e do diesel na esteira da derrocada nos valores do barril de petróleo no mercado internacional. O barril do produto está se desvalorizando diante da guerra de preços protagonizada pela Arábia Saudita e pela Rússia. Neste caso, o forte retrocesso é atribuído à decisão da Arábia Saudita de aumentar substancialmente sua produção e começar a oferecer em certos mercados descontos de até 20% em relação ao petróleo bruto.

Segundo analistas, trata-se do primeiro passo de uma guerra de preços entre a Arábia Saudita e a Rússia.

Nesta quinta-feira, por exemplo, os preços fecharam em forte queda com as restrições a viagens impostas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em uma tentativa de parar a disseminação do coronavírus depois de a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter classificado o surto como uma pandemia.

A queda nos preços também foi influenciada por uma inundação de oferta barata no mercado após a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos terem afirmado que elevarão a produção em meio a uma disputa com a Rússia. O petróleo Brent recuou 7,2%, com valor de US$ 33,22 por barril, e o petróleo dos Estados Unidos caiu 4,5%, a US$ 32,98 por barril.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »