segov

Polícia apreende carro filmado em tiroteio e apura ligação com assassinato

Por Rádio Ativa Naviraí em 23/06/2022 às 20:25:14
A Polícia Civil apreendeu o carro que foi filmado batendo em um muro na madrugada de segunda-feira (20), na Vila Nhánhá, em Campo Grande. Nesta quinta-feira (23), o Campo Grande News apurou que o Chevrolet Celta já foi periciado e que a polícia está em busca de vestígios de que ele seja veículo usado durante execução no Jardim Itamaracá na noite do dia 20. O veículo foi apreendido em uma oficina, na Vila Sol Nascente e na lataria, do lado esquerdo, foram encontradas perfurações de bala. Já na parte de dentro do carro, há marcas de disparo feito de dentro para fora. A placa foi consultada e não existe registro de furto ou roubo. A equipes da DEH (Delegacia Especializada de Homicídios) já esteve em hospital para ouvir o depoimento do Alisson de Souza, de 27 anos, o rapaz que sobreviveu ao atentado que aconteceu no Itamaracá. O delegado titular da Homicídios, Carlos Delano, informou apenas que os dois fatos narrados estão em investigação. Na Nha-nhá - Câmeras de segurança flagraram perseguição, acidente e tiros na Vila Nha-nhá, em Campo Grande, na madrugada de segunda-feira (20). As imagens mostraram quando um Chevrolet Celta colide em um muro. Dois homens saem do veículo e correm. Logo atrás, aparece um veículo que parece um Ford Focus na esquina, de onde descem dois homens, um deles atirando contra os ocupantes do Celta. Naquele momento, ninguém foi atingido. No Jardim Itamaracá - Horas depois do tiroteio na Nha-nhá, durante a noite, João Paulo Albuquerque Lima, 28 anos, o "Pelé", foi executado a tiros na Avenida Rita Vieira de Andrade, no Jardim Itamaracá, em Campo Grande. “Pelé” é suspeito de ter participado dessa perseguição na Vila Nha-nhá, já que o carro que aparece na filmagem é parecido com o que ele estava dirigindo na noite em que foi morto em uma emboscada. Junto com o João Paulo estava Alisson de Souza, de 27 anos, que foi socorrido com vida após o atentado. Alisson já foi condenado por roubo e receptação, crime pelo qual ele estava foragido da Justiça. Além disso, ele tinha mais três mandados de prisão em aberto. Ele e o comparsa João Paulo ainda são apontados como assaltantes que atacavam motoristas de aplicativo, ambos respondem a processo por isso. Dentro do carro onde a dupla estava, havia munições, carregador, duas armas, duas balaclavas, espécie de toca usada para esconder o rosto, e luvas preta. Por conta disso, Alisson acabou preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e teve a preventiva decretada em audiência de custódia. O sobrevivente esta sob escolta militar no hospital.

Fonte: CG NEWS

Comunicar erro

Comentários