MS recebe sexta remessa de vacinas amanhã: Mais 27.800 doses da Coronavac

MS recebe sexta remessa de vacinas amanhã: Mais 27.800 doses da Coronavac
Mato Grosso do Sul recebe mais 27.800 doses da vacina Coronavac nesta quarta-feira (3). - Divulgação Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

Mato Grosso do Sul recebe mais 27.800 doses de vacina do Instituto Butantan – Coronavac - contra a Covid-19, na manhã desta quarta-feira (3). Com a sexta remessa, o Estado contabiliza 251,5 mil doses doses dos imunizantes contra o coronavírus.  

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, garante que as novas remessas de vacina significam um alívio para o Estado para continuar a campanha de imunização.

Últimas notícias 

“Fizemos todas as distribuições em menos de 24 horas, a última chegou a 12 horas e isto colocou o nosso Estado em primeiro lugar na distribuição de doses no país. Assim que o Ministério da Saúde fizer a distribuição, haveremos de acionar a nossa logística para enviar as novas remessas das vacinas o mais rápido possível aos municípios”, pontua o secretário.

Geraldo Resende ainda afirma que mantém contato com diversos secretários municipais onde cobra agilidade no processo de imunização, principalmente, para aqueles municípios que possuem população indígena aldeada.

Mato Grosso do Sul atingiu hoje (2) 183.105 confirmações de Covid-19, desde o início da pandemia. As mortes já contabilizam em 3.350. Recuperados já somam 170.948.

Nas últimas 24 horas foram registrados 20 mortes e 1.124 casos, conforme os dados do Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES) desta terça-feira.

De acordo com dados do Vacinômetro, 164.426 doses já foram aplicadas no Estado, com 4,13% da população vacinada.  

Campo Grande já possui 75.342 confirmações de Covid-19 e 1.474 óbitos. De ontem para hoje, a capital registrou 8 mortes e 250 diagnósticos positivos.

Retrospectiva

A primeira remessa foi entregue a Mato Grosso do Sul no dia 18 de janeiro, com 158.760 doses da Coronavac. Destas, 23.932 foram destinadas apenas para Campo Grande.

A segunda remessa foi no dia 24 do mesmo mês, quando 22 mil doses da vacina de Oxford chegaram ao Estado, 9.340 apenas para a Capital.  

A terceira remessa, com 10.200 doses da Coronavac, chegou no dia seguinte. Do total, Campo Grande recebeu 3.600 doses do imunizante chinês.

A quarta chegou no dia 7 de fevereiro, foram 32 mil doses e foram encaminhadas aos municípios, além da primeira dose, para a segunda aplicação nas pessoas com mais de 80 anos que receberam a vacina Coronavac.

A quinta remessa trouxe mais 35.700 doses para o Estado nem 24 de fevereiro. Na ocasião, foram recebidas 22.500 doses da vacina AstraZeneca/Oxford vindas da Índia e outras 13.200 mil doses da Coronavac.  

Panorama da Covid-19 no Brasil

Já são 10.587.001 brasileiros infectados pelo vírus e 255.720 óbitos. Em um dia, o país registrou 35.742 novos casos e 778 mortes.

O sudeste é o que mais preocupa tanto em casos, quanto em mortes. A região já possui 3.839.032 confirmações e 117.664 óbitos.

A região Centro-Oeste é a que possui menor número de mortes (22.472) e também menor número de diagnósticos positivos (1.127.635), desde o início da pandemia, de acordo com os dados do Ministério da Saúde.

Sintomas do novo coronavírus

É possível que o cidadão esteja infectado pelo vírus da Covid-19, caso apresente os seguintes sintomas:

  • Febre
  • Tosse seca
  • Perda do olfato
  • Perda do paladar
  • Falta de ar
  • Dificuldade para respirar
  • Dor ou pressão do peito

Orientações

A SES afirma que o isolamento social; o uso de máscara e álcool gel e a higienização das mãos com água e sabão são medidas imprescindíveis para conter a propagação do novo coronavírus

Pessoas que apresentarem febre, tosse seca ou dor de garganta devem permanecer em isolamento por 14 dias e procurar uma unidade básica de saúde mais próxima.

“É importante o isolamento, uso de máscara, a proteção individual e a diminuição das aglomerações. A pandemia não passou. Vidas estão sendo perdidas todos os dias”, apela o governador do Estado.  

É importante ressaltar que mesmo já imunizado, o paciente demora cerca de um mês para criar imunidade contra o vírus, por isso, é aconselhado o uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento social.

Fonte: Correio do Estado